Search
Close this search box.

Esposa de ciclista assassinado confessa à PM que foi mandante do crime

Esposa de ciclista assassinado confessa a PM que foi mandante do crime
Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Twitter
Telegram

A polícia de Timóteo investiga um assassinato, ocorrido no fim da tarde de terça-feira (4), no distrito de Lavrinha, no município de Jaguaraçu. De acordo com a Polícia Militar, inicialmente acreditava-se que fosse uma tentativa de latrocínio – roubo seguido de homicídio -, mas após investigações iniciais apontando para um crime de mando, esposa confessou ser a mandante da ação.

“Ela disse que sofria agressões dentro de casa a algum tempo e que ela queria ‘passar um aperto’ nele mas não queria que ocorresse o que ocorreu [assassinato]”, disse o capitão Vitor Prado da PM.

Caio Campos Domingues, de 38 anos, foi morto a tiros na frente da esposa durante um possível latrocínio (roubo seguido de morte), o que foi desmentido hoje com a confissão da mulher. Equipes da Polícia Militar, da 85ª Companhia de Timóteo passaram a noite em busca dos suspeitos e dois nomes foram levantados nas buscas.

Um homem que seria o suposto assassino e que foi visto à tarde na companhia da esposa da vítima, em Cava Grande foi preso. A esposa da vítima também está detida. A polícia ainda investiga se Caio Domingues foi assassinado com uma de suas próprias armas, já que possuía em casa várias armas devidamente registradas. Uma das versões apuradas pelo jornal Diário do Aço junto à Polícia Militar é que Caio e sua esposa, L.S.M., de 39 anos, saíam de sua propriedade em uma caminhonete Fiat Toro, quando foram abordados por um indivíduo que, de posse de uma arma de fogo, anunciou o roubo de uma bicicleta que o casal levava na carroceria. Uma das versões relatadas aos policiais aponta que o assaltante abordou a caminhonete a cerca de 200 metros da residência e determinou que a mulher saísse da direção do carro e que o marido permanecesse quieto.

O criminoso teria, então, determinado que a mulher retirasse a bicicleta da caçamba, o que ela foi fazer. Porém, o marido levantou-se do banco da caminhonete, momento em que o assaltante efetuou os disparos de arma de fogo, dos quais, dois atingiram a vítima no peito.

Em uma das versões, a mulher disse que estava atrás do carro, tentando retirar a bicicleta para entregar ao assaltante, e não viu o momento em que o criminoso atirou no marido. Mas ela também mudou a versão em outro momento e disse que estava dentro do carro, quando o suposto assaltante atirou. Logo após, o assaltante teria desistido do roubo da bicicleta e determinou que ela entrasse no carro e o levasse até o entroncamento com a estrada asfaltada, nas proximidades, o que ela fez.

A esposa então voltou para socorrer o marido, que tinha ficado caído à margem da estrada. Também disse que telefonou, primeiro para um advogado amigo da família e em seguida para o Delegado da Polícia Civil, Jorge Caldeira.

Ao retornar ao local do fato, com a ajuda do pai, que estava em uma chácara vizinha e correu para o local na companhia de um pedreiro e um ajudante, colocou o marido na caminhonete e o levou para o Hospital Vital Brazil. Caio deu entrada e não resistiu aos ferimentos. Em seguida, a esposa conta que saiu do hospital e foi para a casa da mãe dela, no bairro John Kennedy, em Timóteo.

Dívidas e ameaças

Outras informações já levantadas pela polícia, apontam o fato de o casal ter dívidas com agiotas. A própria mulher relatou à Polícia Militar a existência de registro de queixas junto à polícia em função de ameaças por causa das dívidas, que eram delas e não do marido. Essas dívidas, segundo ela, seriam oriundas de uma época em que ela possuía uma loja. Todas as versões apresentadas estão em investigação.

Ciclista

Caio Domingues era casado e deixa esposa e dois filhos. Ele integrava grupos tradicionais de ciclistas de Timóteo, Pedivela e Pedal Leste. A ocorrência está em andamento.

 

 

Para mais notícias clique aqui. Nos siga nas redes sociais! @maisvipoficial

 

COMPARTILHE: