O prefeito de Timóteo Douglas Willkys se reuniu na manhã desta quarta-feira (20) na Secretaria de Administração Prisional, em Belo Horizonte, para assinar um termo de compromisso para o desenvolvimento de um programa de reintegração de detentos das cadeias públicas de Coronel Fabriciano e de Timóteo. A iniciativa conta com o apoio do Poder Judiciário.

O encontro na Cidade Administrativa contou com as presenças do diretor de Trabalho e Produção da Secretaria de Estado de Administração Prisional, Felipe Simões, e do assessor chefe a Subsecretária de Humanização do Atendimento, Fausto Almeida. Além do prefeito Douglas Willkys, o convênio foi assinado pela subsecretária de Humanização do Atendimento, Louise Bernardes Passos Leite e pelo diretor geral do presídio de Coronel Fabriciano, João Batista Ferreira. Anteriormente, o diretor da cadeia de Timóteo, Edmar Ancelmo Pinto, também já havia assinado o convênio.

A experiência com a reintegração de presos vem sendo feita com êxito em cerca de 80 municípios mineiros. Um dos exemplos bem sucedidos é da cidade de Rezende Costa, na região do Campo das Vertentes, onde os detentos trabalham no manejo ambiental, visando o combate ao mosquito Aedes aegypti responsável pela transmissão da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela.

O programa inclui a utilização dos detentos na limpeza da cidade e de prédios públicos, a fabricação de bloquetes para calçamentos de vias, reforma de carteiras escolares, construção de placas, hortas comunitárias, manutenção de veículos, entre outros.

Oportunidade

No município, o programa deve atender a até 50 presos que tenham bom comportamento. A cada três dias trabalhados, o preso tem um dia descontado da sua pena. Pelo convênio, a prefeitura disponibiliza as condições necessárias e capacita os detentos para o bom desenvolvimento das atividades, bem como controla a frequência, a execução do serviço e as horas trabalhadas, como forma de contagem de tempo para a remição da pena.

Entre os objetivos do programa está o de promover a ressocialização do apenado, dando oportunidade para que ele tenha um trabalho e possa se aperfeiçoar, além de poder reduzir o tempo de prisão. O segundo é a prestação de serviço público relevante para a comunidade, ajudando a prefeitura a superar um dos principais problemas, especialmente nesse período de dificuldades econômicas.

“Estamos passando por uma crise financeira duradoura, precisamos buscar parcerias para manter os serviços funcionando. Em contrapartida vamos possibilitar a reintegração dos apenados ajudando na sua ressocialização junto à sociedade”, declarou o prefeito Douglas Willkys.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite o seu comentário!
Digite o seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.