A Secretaria de Saúde de Timóteo informou o resultado do terceiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRA’a) de agosto 2018. A pesquisa larvária apontou 1,9% de infestação predial, índice de médio risco,  considerado estado de alerta no município.

De acordo com Eduardo Oliveira Morais, secretário de Saúde,  as ações dos Agentes de Combate às Endemias (ACE) são contínuas. “A prevenção não pode ser interrompida, mesmo no período mais frio do ano, a continuidade das ações é importante para manter baixos os índices de infestação, justamente para quando chegar à época de maior proliferação”, explica.

Principais depósitos

O Departamento de Vigilância em Saúde e Controle de Zoonoses verificou que  a maior frequência dos criadouros contendo larvas do mosquito Aedes aegypti consiste em depósitos móveis como: vasos/frascos com água, pratos, garrafas retornáveis, pingadeira, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, materiais em depósitos de construção (sanitários estocados, canos e outros similares com índice de 37,5%.

Bairros

A Secretaria de Saúde conta com 40 agentes de endemias, contingente significativo para cobrir as regionais do município. Foram visitados 1.343 imóveis. A pesquisa apontou que o acúmulo de inservíveis e lixo no quintal ainda é o maior problema. Os bairros com maiores índices de infestação são: Macuco (0,39%), Nossa Senhora das Graças (0,22%), Cruzeirinho (0,19%), Alvorada e Ana Rita (0,17%), Alphaville e Santa Maria (0,15%) e Ana Moura (0,14%).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite o seu comentário!
Digite o seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.