Embora a primavera só inicie no final de setembro e estejamos ainda em pleno inverno, desde o início de julho a floração de Ipês, especialmente os rosas, vem transformando as paisagens de Ipatinga. Até o final de agosto ainda há muito espetáculo para ser visto, incluindo também as cores amarela e branca da espécie, uma vez que o município possui cerca de 5.000 exemplares, em idade adulta, nos principais corredores da cidade.

Até o final de 2020, a Prefeitura pretende plantar 6.000 novas unidades da espécie Ipê de jardim, com floração amarela. Já através do projeto ‘Calçada Linda’, outras 5.000 mudas de Ipês – rosas, amarelos, roxos e brancos – serão inseridas em canteiros de avenidas, ruas, praças e parques do município.

 Além da beleza plástica, o Ipê, que ocorre em todo o Brasil, é reconhecido pela excelente qualidade da madeira. Citado no clássico Macunaíma, de Mário de Andrade, e em obra de Castro Alves, além da poesia de Carlos Drummond de Andrade, é considerado símbolo de força e resistência.

De acordo com a diretora do Departamento de Meio Ambiente, Núbia Fernandes, “a cada ano, os ipês-rosa são os primeiros a florescer e logo depois é a vez dos amarelos, e são dignos de contemplação também pelo curto tempo de sua exuberante roupagem. Tanto um quanto o outro oferecem cerca de cinco dias de florada para o observador. Em agosto, é preciso atenção redobrada para apreciar os brancos, que florescem por apenas dois dias”, detalha.

A espécie é caducifólia, nome dado às plantas que, numa certa estação do ano, perdem suas folhas, geralmente nos meses mais frios e sem chuva (outono e inverno).

Ainda segundo a diretora, “o ipê é muito utilizado na arborização urbana do município por ser uma ótima árvore ornamental, de crescimento moderado a rápido e que não possui raízes agressivas”. Ela ainda complementa: “Contudo, as árvores são frondosas e precisam de muito espaço para se desenvolver. Por isso, não devem ser plantadas embaixo de rede elétrica, calçadas ou canteiros muito pequenos. Em Ipatinga elas são vistas geralmente nos canteiros centrais e praças”, observa.

A floração se dá em julho, tendo em vista as peculiaridades do clima e incidência de luz solar, quando os dias são mais curtos e as noites mais longas. Para sobrevivência da espécie, após a florada vem o fruto. As sementes, depois de amadurecidas, vão garantir a perpetuação da planta.

O desenvolvimento da fauna também é favorecido com a floração dos ipês, já que a árvore atrai polinizadores como beija-flores, marimbondos e abelhas (que também se alimentam do néctar das flores).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite o seu comentário!
Digite o seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.