Entre mais de 1.800 beneficiários, cerca de 270 servidores municipais de Ipatinga, entre aposentados e pensionistas, que recebem complementação salarial da Prefeitura, terão os valores bloqueados a partir do dia 1º de novembro, por falta de comprovação de vida. A Administração explica que a prova de vida é uma exigência do governo federal que deve ser cumprida anualmente.

A complementação será desbloqueada à medida que os faltosos regularizarem a situação junto ao município. O bloqueio refere-se somente à complementação que é paga pelo município, o que significa que os aposentados e pensionistas irão receber normalmente os valores relativos à aposentadoria do INSS.

“Assim que o aposentado ou pensionista comparecer à prefeitura e regularizar a situação, ele volta a receber o pagamento inteiro, mas na folha subsequente, que no caso agora é a de dezembro. O valor bloqueado será pago retroativamente, somando-se àquele do mês em curso”, explica a secretária municipal de Administração, Bruna Rocha Souza de Oliveira.

Prazo e divulgação

Os 1.860 aposentados e pensionistas que recebem complementação pela Prefeitura tiveram 40 dias para comparecer ao Departamento de Administração e Recursos Humanos (Dearh) para fazerem a comprovação de vida. O primeiro prazo dado pelo município foi de 10 de setembro a 10 de outubro. Como à época faltavam ainda 575 beneficiários para fazer a comprovação, o Executivo municipal ampliou o limite para o dia 19 de outubro. No entanto, 240 aposentados e outros 26 pensionistas não compareceram até a data final, impossibilitando a liberação dos valores na folha relativa ao mês de outubro, paga nesta quinta-feira (01/11).

Os prazos foram amplamente divulgados no site da Prefeitura de Ipatinga, nos jornais, rádios e TV’s locais, além das redes sociais.

O prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, lembra que o procedimento de comprovação de vida é necessário para evitar pagamentos irregulares. “A atualização é fundamental, principalmente porque os servidores inativos ficaram por dois anos sem receber a complementação, além de não constarem da folha de pagamento por um ano. O que estamos fazendo é evitar que a administração pague complementação para quem não está vivo, onerando a folha desnecessariamente. Nós demos o prazo, divulgamos nas redes sociais da prefeitura, no site e também na imprensa local”, enfatizou o prefeito, ressalvando que a complementação será regularizada à medida que o beneficiário se apresentar.

Como fazer

O aposentado e pensionista que tiver o pagamento suspenso deve procurar o Departamento de Administração e Recursos Humanos (Dearh), no 3º andar do prédio da prefeitura, para fazer a comprovação de vida. Eles devem portar cópias e originais do último extrato do INSS, comprovante de endereço, carteira de identidade e CPF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite o seu comentário!
Digite o seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.