A empresa de investimentos cripto com retornos “exorbitantes” A2 Trader, que é investigada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pelos crimes de fraude e pirâmide financeira, foi fechada nesta terça-feira depois de uma ação policial no prédio em que funcionava a empresa. Depois da ação policial, o prédio teria sido saqueado por “investidores furiosos”, como noticiou o jornal local Tribuna do Norte.

Por meio de nota nas redes sociais, o “empresário” dono da empresa, Kleiton Alves, que se exibia e desafiava a CVM do Brasil há poucas semanas, disse que encerrou a empresa devido a uma “enxurrada de processos” por “motivos banais”, dizendo que a decisão teria sido tomada “antes que houvesse um bloqueio judicial das contas”.

PMT_trabalho_e_seriedade_novembro-2
PMT_trabalho_e_seriedade_novembro-1

Segundo Alves, os investidores que já conseguiram recuperar o montante investido não serão mais pagos pela empresa, apesar de esperar por seus rendimentos pelos investimentos. “Se você já lucrou na empresa, show de bola. Fale bem dela. Se você já lucrou, a empresa não tem mais nada a te pagar. Se não lucrou, não se desespere porquê você vai ter a raiz devolvida.”

Depois do anúncio de fechamento, pessoas foram à sede da empresa, no bairro Cidade Jardim, em Natal (RN), e depredaram o local. Vídeos nas redes sociais mostram os invasores carregando TVs, cadeiras e mesas da sede.

A promessa inicial da A2 Trader era oferecer lucro diário de 4% sobre o investimento em Bitcoin, o que chamou a atenção da CVM, que abriu investigação.

Suposto ‘líder’ da A2 Trader é assassinado

Um suposto ‘líder’ da A2 Trader, empresa acusada de pirâmide financeira com Bitcoin,  foi assassinado nesta quarta-feira, 06 de novembro, em Curitiba, no Paraná. A notícia foi publicada no portal local Banda B.

A vítima, segundo informações que circulam nas redes sociais, seria João Silva, um dos líderes da empresa no Paraná e youtuber do canal Crypto Febre, que tem mais de 8.000 inscritos no YouTube.

Segundo a matéria, “um homem de 43 anos” foi assassinado a tiros no bairro Campo de Santana, em Curitiba (PR). Segundo o delegado Thiago Nóbrega, da DHPP, a vítima “trabalhava atualmente com Bitcoins, que estavam rendendo dinheiro a ele. A família desconhecia desavenças ou envolvimento dele com drogas ou outros crimes.

Por Cointelegraph Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite o seu comentário!
Digite o seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.