Search
Close this search box.

SAÚDE MENTAL NA INFÂNCIA

Psicóloga Larissa Souza - Foto: Fernanda Nunes
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Twitter
Telegram

Todos nós já sabemos sobre a importância de cuidarmos da nossa saúde mental para que possamos ter uma boa qualidade de vida, não é mesmo? Mas, e na infância, será que esses cuidados também são necessários?

Cuidar do emocional, desde os primeiros anos de vida, é muito importante e fundamental para que uma pessoa possa ter uma boa saúde mental e qualidade de vida ao longo de todas as outras fases do seu desenvolvimento. Embora não manifestem da mesma forma que os adultos, as crianças também são suscetíveis ao adoecimento emocional. Promover a saúde mental das crianças garante a elas proteção, meios de prevenção, acolhimento, redução de fatores de riscos e doenças. Segundo a Fundação Oswaldo Cruz, “75% dos transtornos mentais se iniciam na infância e adolescência e metade deles ocorrem até os 14 anos. A adolescência é um momento crítico, mas a infância tem um protagonismo importante nesses casos.” A ausência de cuidados com a saúde mental infantil pode limitar oportunidades na vida escolar, social e, futuramente, profissional dessas pessoas.

Regressões no desenvolvimento, mudanças frequentes de humor e de comportamento, dificuldades de relacionamento com outras crianças e/ou adultos, alterações no sono e apetite, queda no desempenho escolar e isolamento social são alguns sinais de alerta para um possível adoecimento emocional. Por estarem em fase de desenvolvimento, as crianças têm dificuldade em expressar e lidar com suas emoções. Portanto, cabe a nós, adultos, estarmos atentos aos sinais e buscarmos ajuda profissional o mais rápido possível.

O cuidado com a saúde mental infantil é um trabalho que envolve o empenho da família, da escola, dos profissionais de saúde e da sociedade como um todo. Assim, conseguiremos proporcionar aos pequenos uma infância mais tranquila, com saúde e qualidade de vida. Cuidar da saúde mental das nossas crianças é fundamental para que possamos ter adultos saudáveis e, assim, construirmos um mundo melhor.

 

 

Por:

Larissa Souza e Silva

Psicóloga – CRP 04/53514

Pós-Graduada em Saúde Mental, Psicopatologia e Atenção Psicossocial

@larissasouzapsi

psicologa.larissasouza@gmail.com

COMPARTILHE:

publicidade