Search
Close this search box.

Marinha forma a primeira turma de mulheres combatentes

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Twitter
Telegram

A Marinha se antecipou à decisão do Ministério de Defesa

Nesta sexta-feira (05), a marinha brasileira realizará a abertura da primeira turma de combatentes femininas. Assim, um grupo de 114 mulheres se formarão como soldados fuzileiros navais.

Nesse sentido, o processo de seleção contou com cerca de sete mil mulheres inscritas. Na prática, a Marinha se antecipou à decisão do Ministério da Defesa de aceitar o alistamento feminino voluntário, previsto apenas para 2025.

Dessa forma, o quartel que receberá as mulheres teve que receber adaptações. Da mesma forma, os fuzis serão mais leves que os carregados por homens, os coletes e as mochilas também receberão ajustes para os corpos femininos.

Além disso, a Marinha instalou sistemas de reconhecimento facial para garantir a privacidade e a segurança das mulheres.

Essas mudanças são resultados de estudos e intercâmbios com Forças Navais de outras nações, principalmente às que possuem mulheres na linha de frente. Assim, foram três anos de preparos e estudos para receber as brasileiras no quartel.

No Brasil, o ingresso feminino na Marinha começou em 1980, sendo o primeiro órgão militar do país a receber mulheres. Em seguida foi a vez da Força Aérea e do Exército, em 1982 e 1992, respectivamente.

Atualmente, são cerca de 34 mil mulheres atuando nas Forças Armadas, em um universo de contempla 360 mil militares.

Foto destaque: Reprodução/Marinha

Para mais notícias clique aqui e também nos siga nas redes sociais @maisvipoficial

COMPARTILHE: